quarta-feira, 28 de março de 2012

PODERÁ O CRENTE TEMER ENFERMIDADES?



No momento em que uma pandemia (epidemia a nível internacional) assola a humanidade, inúmeros irmãos apresentam uma apreensão exacerbada sobre o assunto, mas pela fé no Deus vivo que servimos, precisamos sim precaver, mas não há razão para pânico relacionado à pestilência alguma.
            Observe, sempre que Jesus libertava aos que o buscavam, recomendava: Não temas, crê somente. Exatamente isso que precisamos, crer que Deus está em nós, e não nos deixa desamparado na angústia à mercê do inimigo, porque o medo é sinônimo de ausência de fé, falta de confiança na palavra do Senhor, e Ele só nos ouvirá quando intercedemos sem duvidar, com a convicção que seremos atendidos em nossas petições.
            E no Evangelho de Marcos 16.17, 18, disse o Senhor Jesus, aos seus discípulos: Estes sinais seguirão aos que crerem: em meu nome, expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e imporão as mãos sobre os enfermos e os curarão.
            Irmãos seríamos nós capazes de imaginar a grandeza do poder do Altíssimo? Jesus afirmou aos que crerem, em seu nome expulsarão demônios, pegarão em serpentes sem sofrer mal nenhum, como também se comerem alguma coisa com poder para sucumbir a carne, dano algum ocorrerá com os que amam a vinda de Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador.     
            Então qual a significância de um mísero vírus, o qual sequer é visível a olho nu, diante do poder letal de víboras, serpentes ou de algum produto mortífero? Mas tudo é uma questão de fé e confiança em Deus, para tanto, Paulo foi ferido por uma víbora e não sofreu  mal algum, porque Deus era com ele (Atos 28.3-5). E o poder de Deus é ilimitado e imutável, ou seja, o mesmo ontem, hoje, e será eternamente.
            E o irmão, crê  verdadeiramente que Cristo vive e é poderoso para lhe salvar, como também o livrar de todo mal e da obra do maligno? Evidente que você dirá que sim. Amem. Então não há nada a temer, mas crer somente.
            No entanto, é bom que estejamos atentos às prevenções, considere que depois que Jesus cumpriu a quarentena de jejum no deserto, satanás O tentou dizendo:  Se tu és o Filho de Deus, lança-te daqui abaixo; porque está escrito: Aos seus anjos dará ordens a teu respeito, e tomar-te-ão nas mãos, para que nunca tropeces em alguma pedra. Respondeu-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor, teu Deus.
            Satanás tentou colocar dúvidas no coração do Senhor induzindo-O a provar a sua afinidade com o Pai, mas Jesus replicou e deixou o exemplo que, de forma alguma podemos tentar a Deus.
            Assim também poderá o inimigo  lhe desafiar à provar que és um ungido de Deus com emboscada astuciosa, por isso precisamos de olhos espirituais para não cairmos em tentação, pois a palavra recomenda: Sujeitai-vos a Deus, resisti ao diabo e ele fugirá de vós (Tiago 4.7).
            Exemplo de sujeição a Deus legado por Jó, homem temente a Deus e mesmo assim foi fulminado pelos dardos inflamáveis do inimigo, e em tudo isso Jó não pecou e nem atribuiu falta alguma. E no momento da sua maior angústia se humilhou na presença do Senhor e O adorou, e no tempo do Senhor foi vitorioso.
            Todavia, a atual situação é preocupante, a doença realmente é avassaladora, mas não é o uso de materiais descartáveis na higienização que irá livrá-lo do mal. A hora é do povo de Deus se unirem em constante oração,  jejum, buscando a santificação no Senhor, porque  somente pelo revestimento da couraça de Deus  poderá nos livra de toda obra das potestades do mal.
            Relata a palavra, que os escribas e fariseus interpelaram a Jesus (Mateus cap.15) porque os seus discípulos não lavavam as mãos antes às refeições, porem Jesus dispensou essa prática e afirmou que, o que entra na boca não contamina o homem, mas o que sai da boca, isso sim, contamina.
            E no momento, a prevenção mais eficaz e recomendável contra as doenças virais e bacteriológicas é a higiene com as mãos, no que dá uma aparência estranha Jesus assegurar que o alimento que entra na boca não contamina o homem, ainda que não possua o hábito de lavar as mãos. Mas o que aspirou ao Senhor dispensar a tradição dos anciãos, no tocante a lavar as mãos antes às refeições?
            A revelação vem na primeira carta a Timóteo 4.4, 5, aprecie: Toda criatura de Deus é boa, e não há nada que rejeitar, sendo recebido com ações de graças, porque, pela palavra de Deus e pela oração, é santificada.
            Para aquele que crê no Senhor Jesus como seu único e suficiente Salvador, não há razão para temor, porque todo alimento é santificado pela oração, por isso a palavra em Romanos 8.31, narra:Se Deus é por nós, quem será contra nós? No que também é ratificado na primeira carta universal do Apóstolo Pedro 3.13, assim descrito: Qual é aquele que poderá vos fazer mal, se fordes zeloso do bem?
            E o conforto espiritual é acrescentado no livro dos Salmos 27.1, onde a palavra do Senhor certifica que não devemos temer a nenhum mal, porque o  salmista confessou:  O Senhor é a minha luz e a minha salvação; a quem temerei? O Senhor é a força da minha vida; de quem me recearei? Palavra de confiança confirmada também nos Salmos 27.3, onde diz: Ainda que um exército me cercasse, o meu coração não temeria; ainda que a guerra se levantasse contra mim, nele confiaria.   
             O ENCORAJAMENTO PARA ENFRENTARMOS ATÉ A MORTE
            Não precisamos temer as pestes, a violência e as tragédias porque essas coisas são os sinais do princípio do fim (Mateus cap. 24), para que se cumpra a Palavra, porém o Senhor Jesus nos encoraja a enfrentar todas as situações, e até mesmo a morte deverá ser encarada com naturalidade e esperança, veja que no Evangelho de Mateus 10.28, Jesus disse: Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei, antes, aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo.
            Jesus certificou também que a carne para nada se aproveita, mas o espírito é o que vivifica (João 6.63), isso significa que não deve o homem se preocupar apenas com o bem estar do corpo físico e esquecer-se de zelar pela maior preciosidade que há em nós, que é o espírito.
            Porque a carne veio do pó e no pó se desfará, mas o espírito viverá eternamente, e onde passarás a eternidade? Portanto amados, temor só aos mandamentos do Evangelho de Cristo, para que sejamos um dos seus escolhidos no grande e terrível dia do Senhor Jesus, porque as tribulações e enfermidades virão mesmo, mas o que diz a palavra do Senhor sobre situações adversas?
            Observe a recomendação do Senhor na carta universal de Tiago 5.13-16: Está alguém entre vós aflito? Ore. Está alguém contente? Cante louvores. Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor; e a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados. Orai uns pelos outros, para que sareis; a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.
            Observe que a palavra evidencia a oração da fé, ministrada pelo servo de Deus, o justo, aquele que possui comunhão com Altíssimo, porque está escrito que Deus não ouve a pecadores mas se alguém é temente a Deus e guarda os seus mandamentos, a esse Ele ouve (João 9.31). Porque o Senhor Deus assim assegurou: Invoca-me no dia da angústia; eu te livrarei, e tu me glorificarás (Salmos 50.15). 
            Portanto amados, onde quer que estejam, seja lá qual for a situação, confie no Senhor teu Deus, estejais em constante oração, jejum e boas obras, para que o ouvido do Senhor esteja  atento ao vosso clamor e a destra da sua justiça vos sustentando para que nunca venham a desfalecer na fé.
            Na conclusão desse texto, o meu espírito está jubiloso em Cristo, pela oportunidade de compartilhar com os amados esta simples e humilde mensagem, mas o que mais me contentou, veio justamente ao fim da nossa meditação, na primeira carta universal de João 4.4-6 onde a palavra de Deus nos fortalece espiritualmente, aprecie:
            Filhinhos, vós sois de Deus e já os tendes vencido, porque maior é o que está em vós do que o que está no mundo. Do mundo são; por isso, falam do mundo, e o mundo os ouve. Mas nós somos de Deus; aquele que conhece a Deus ouve-nos; mas aquele que não é de Deus não nos ouve. Nisto conhecemos o espírito da verdade e o espírito do erro.
            Essa palavra nos regozijou porque o Espírito Santo de Deus nos faz discernir o porque muitos contestam a palavra do Senhor que pregamos, mas os que são de Deus ouve-nos e há discernimento nas mensagens que anunciamos. Nisto conhecemos os que têm o Espírito da verdade, e os que andam no espírito do erro.