quarta-feira, 28 de março de 2012

SE FOR AMIGO DO MUNDO É INIMIGO DE DEUS.



E você, meu amado irmão, é amigo ou inimigo de Deus? Certamente responderá: Qual o ser humano ousaria a se projetar como inimigo de Deus?
            Vamos meditar na Palavra do Senhor e ao final do texto, você concluirá a sua concepção sobre o questionamento.
            Na carta universal do Apóstolo Tiago 4.4, a palavra do Senhor lembra: Não sabeis vós que aamizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que se fizer amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.
            Palavra ratificada em I João 2.15-17, onde está escrito: Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a desejo da carne, e cobiça dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo.
            Para que possamos saber se somos amigo ou inimigo de Deus, precisamos primeiramente conhecer o que significa ser “amigo do mundo”.
            No Evangelho de Mateus 6.24, disse Jesus: Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou há de odiar um e amar o outro ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom.
            A Palavra revela que há dois senhores, referindo primeiramente ao Poderoso Deus e Pai que tudo criou, e ao deus mamon. Esse deus induz os seus amigos e seguidores a praticarem as obras da carne  (prazer pelas coisas mundanas), as quais são: Avareza, prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, vícios, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais, não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam (Gálatas 5.19-21).
           Mas os amigos de Deus compartilham do Fruto do Espíritoque é constituído pelo amor, fé, esperança, caridade, paz, alegria, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. E os que são de Cristo vivem o fruto do Espírito porque crucificaram a carne com as suas paixões e promiscuidades (Gálatas 5.22-24).
            Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser (Romanos 8.7). Mas se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito (Gálatas 5:25), porque sabemos que somos de Deus, mas o mundo está no maligno (I João 5.19).
            E na primeira carta universal de João 4.4-6, a Palavra afiança que maior é o que está em nós, do que o que está no mundo; porque do mundo são; por isso, falam do mundo, e o mundo os ouve. Mas nós somos de Deus; e aquele que conhece a Deus ouve-nos; aquele que não é de Deus não nos ouve. Nisto conhecemos o Espírito da Verdade e o espírito do erro.
            Porque o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que não lhes resplandeça a luz do Evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus (II Coríntios 4:4).
            Com a queda do homem no Éden, ele entregou a satanás o Paraíso que Deus havia lhe ofertado, e por essa insubordinação foi lhe decretada a morte espiritual como também a morte carnal, e de dominador passou a condição de servo do inimigo.
            Desde então, o pecado passou a fazer parte da natureza humana, mas Deus na sua infinita misericórdia, não abandou aquele que estava morto na maldição do pecado, pela sua própria desobediência. Antes não poupou nem o seu próprio Filho, oferecendo-O em sacrifício, para resgatar o homem do pecado e da morte e reconciliá-lo consigo mesmo, ainda que para isso houvesse derramamento de sangue.   
            Hebreus 9. 11, 12, diz: E, vindo Cristo, o sumo sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito Tabernáculo, não feito por mãos, isto é, não desta criação, nem por sangue de bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário, havendo efetuado uma eterna redenção.
            E no Evangelho de João 15.13-18, Jesus revela o seu amor por aquele que resgatou com o seu próprio sangue, dizendo: Ninguém tem maior amor do que este: De dar alguém a sua vida pelos seus amigos.
            Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando. E Já não vos chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor, mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer.
            Meu amado irmão, você já tomou consciência do que é ser amigo de Jesus Cristo? Mas para que esse laço de amizade seja consolidado, o Senhor estabelece princípios, dizendo: Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando.
            Exatamente como Deus entregou um Paraíso ao homem sem que esse fizesse qualquer esforço ou praticasse alguma obra que justificasse merecimento, assim também, Jesus  fez todo sacrifício para resgatar e conciliar o homem com o Pai. E   pela aspersão do seu sangue, Ele bate em sua porta para se tornar seu amigo, e se você  ouvir a sua voz e abrir a porta, irá cear com Ele.
            E para tê-lo junto de si, o Senhor pede uma única coisa: Obediência aos seus mandamentos, e que você renuncie as coisas mundo, tome a sua cruz e siga-O, porque o mundo não tem nada para lhe oferecer.
            Até  mesmo o que lhe parece agradável a carne, são miragens, e ao fim, tudo se transforma em tribulação,  tristeza e dor, porque a obra da carne não tem consistência, são apenas fantasias e alucinações. Mas obra do Espírito é viva e eficaz, e traz a certeza que Jesus veio para lhe dar vida e vida em abundância.
            Por isso a palavra recomenda: Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus (Romanos 12.2).
            E jamais se apresente como um simples apreciador ou ouvinte esquecido,  inimigo do Senhor, pois, em Mateus 12.20, Ele afirmou: Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta espalha.
            Meu irmão, considere a grandeza da Palavra do Senhor. Você está ao lado de Cristo ou contra Ele? E se você não está ajuntando com Jesus, certamente está embaraçando o fundamento que Ele edificou, por isso Ele o considera inimigo.           
            Por essa razão, no início do nosso texto lhe perguntamos se você é amigo ou inimigo de Deus, porque somente os que viveram a experiência de um novo nascimento pela purificação do Evangelho de Cristo, poderão recebê-Lo com verdadeiro amigo.
            E para alcançarmos a verdadeira conversão, a Palavra recomenda: Sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos (Tiago 1.22), ratificado em Apocalipse 3.22 onde está escrito: Eu sei as tuas obras, que nem és frio nem quente. Tomara que foras frio ou quente! Assim, porque és morno e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.
            Portando amado, não seja apenas ouvinte ou somente apreciador da palavra de Deus, nem tão pouco um crente morno e sem compromisso com o Evangelho de  Cisto, mas seja cumpridor dos mandamentos do Senhor Jesus. Porque os simples ouvintes do Evangelho não são justos diante de Deus, mas os que praticam a lei hão de ser justificados (Romanos 2.13). E Jesus assegurou que nem todo o que diz Senhor, Senhor  entrará no reino dos Céus, mas aquele que faz a vontade do Pai, que está nos Céus (Mateus 7.21).
            Aprecie a Palavra na carta aos Efésios 2.1-14, assim descreve: Noutro tempo, estando vós mortos em ofensas e pecados, Jesus vos vivificou, quando andastes, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que, agora, opera nos filhos da desobediência.
            Entre os quais nós também, antes, andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira.  
            Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo, porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus. 
            Naquele tempo, estáveis sem Cristo, não tendo esperança e sem Deus no mundo. Mas, agora, em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto, porque Ele é a nossa paz.
            Jesus é a nossa paz, por isso amados, tem que haver distinção entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus e o que não o serve (Malaquias 3.17 e 18), e na carta aos Efésios 5.14  vem o alerta do Senhor pelo que diz: Desperta, ó tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te esclarecerá.
            E  a primeira carta de João 2.15-17, exorta dizendo: Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, há vontade da carne, há desejo dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo.
            E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.