segunda-feira, 25 de junho de 2012

Graça Salvadora!!!

  
TEMA: A Graça Salvadora
 
“Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens, educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente, aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Jesus Cristo.” (Tito 2.11-13)
            A Graça de Deus, ela não é simplesmente um atributo divino, mas também o próprio Senhor Jesus Cristo, “a graça encarnada”; em Ele usar a sua GRAÇA, como meio para salvar a humanidade, foi o maior benefício divino para o povo arruinado pelo pecado. (Jo 1.14). O termo GRAÇA é entendido como um dom gratuito e sobrenatural dado por Deus a quem não merecia (Tt 3.4,5). A Graça alcançou a todos, e não somente a um grupo de pessoas (2 Co 5.19; 2 Pe 3.9), pois todos pecaram (Rm 5.12).
A Graça de Deus
A graça foi revelada e humanizada através do profundo amor de Deus à humanidade, “a graça salvadora Jesus Cristo”. A salvação pela graça não é alcançada através das obras (Ef 2.8,9; Rm 3.19-28), se assim fosse a graça não teria efeito (Rm 11.6). A misericórdia de Deus entrou em ação através da sua graça (Ef 2.4; I Pe 1.3; 2.10). Ela é o único meio de salvação (At 15.11). “Como escaparemos nós se não atentarmos para uma tão grande salvação?” (Hb 2.3). Outra ação da graça divina é nos encaminhar para as boas obras, ela nos molda a vontade de Deus e nos educa para que abjuremos as paixões mundanas a fim de termos uma vida sensata, justa e piedosamente. (Tt 2.11,12). A graça de Deus nos habilita a aguardar a bendita esperança e a manifestação de Jesus Cristo (Tt 2.13).
A graça de Deus se obtém pela fé e obediência a Cristo. Essa graça é essencial para todos e suficientemente para nos conduzir, consolar, edificar e alimentar, é aquilo que nos completa. Paulo ouviu do Senhor que a sua graça era o suficiente para todos os momentos da vida dele, principalmente nos sofrimentos, ou seja, para todas as necessidades humanas (2 Co 12.9; Ef 4.7). Essa é uma graça capacitadora, tanto para desenvolver a obra do evangelho (Lc 10.19; Rm 14.4; 2 Co 3.6; I Tm 1.12; 2 Co 9.8), quanto na superação dos problemas (Fp 4.13). A graça é uma fonte de poder recomendada a todos (2 Tm 2.1). A graça de Deus é um dom indizível (2 Co 9.15).
Outros benefícios da graça
1. A graça de Deus é repartida livremente (Sl 84.11; At 11.23; 13.434);
2. Não é concedida para fins egoístas (I Pe 4.10);
3. Ela dá poder para o serviço cristão (I Co 3.10; 15.10);
4. Capacita para viver a vida cristã (2 Co 1.12);
5. Pode ser resistida (Hb 12.15);
6. Recebida em vão ou inútil (2 Co 6.1; Gl 2.21; Ef 3.7; Hb 2.9; Tg 4.6);
7. Abandonada pelo crente (Gl 5.4).
            Devemos usufruir de todos os benefícios que a graça de Deus nos oferece, vivendo uma vida plena; isso nos leva a um desenvolvimento espiritual profundo na presença do Senhor. Resistir a essa graça é viver uma vida vazia e sem Deus. Busquemo-la, ela enriquece o nosso desenvolvimento cristão.