quarta-feira, 17 de outubro de 2012

QUEM É MAMOM?



Durante a passagem de Jesus por este mundo, Ele foi sustentado pelo seu Pai a cada minuto e mesmo sendo Deus, podendo fazer milagres e grandes feitos não quis ocupar o lugar do Pai, pelo contrário, reconhecia a autoridade de quem o enviou e era com Ele que andava. Quando leio os relatos a bíblicos também reconheço na figura de Cristo um posicionamento bem diferente de mim e das nossas igrejas em relação ao dinheiro e então apresento aquilo que percebo que Ele queria nos ensinar a respeitos do “ouro e prata” desta terra:

Dinheiro é um Deus.

Jesus disse: “Vocês não podem servir a dois patrões: Deus e o dinheiro (mamom). Porque vocês odiarão um e amarão outro, ou vice versa. Portanto, meu conselho é: Não fiquem preocupados a respeito de coisas: O que comer, o que beber e o que vestir. Porque vocês já têm a vida e o corpo - e ele são muito mais importantes do que o comer ou o que vestir”. Mateus 6: 24-25.

Nessa afirmação inicial, Jesus compara o dinheiro a Deus e sugere que somente ele tem a capacidade de ocupar o lugar único em nossas vidas. Mamom é o dinheiro personificado em Deus. Ele também estabelece que é impossível amar ao dinheiro e a Deus e deposita em nossos corações uma tranquilidade, dizendo: Não fiquem preocupados. Preocupação é características de gente ansiosa, de gente que gosta de acumular para garantir, de gente que não descansa. Gente que tá com a ocupação adiantada.

E complementa nos reforçando a guardar em nosso coração a indagação: “Pois, que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?” (Marcos 8:36) Sei que dinheiro nos dá algumas coisas, mas não me venha com aquele papo de que dinheiro faz bem e que pecado é somente amar o dinheiro. Não acredito nisso. Acredito que o pecado proveniente do dinheiro é que com ele nos queremos garantir a sua sobrevivência sem precisar do sustento do Pai dos céus.

E , infelizmente, o dinheiro se tornou sim um deus, e que a cada dia mais tem forjado o caráter das pessoas.O dinheiro nos dá suas beneficies, mas, ao contrário do Deus verdadeiro, rouba a alma para a avareza, a ganância e a arrogância.Sei que pode parecer exagero, mas se pegar esse texto inteiro vamos notar que as afirmações de Jesus são categóricas.

Você não precisa de dinheiro se for para apenas ter.

“Então alguém gritou no meio da multidão: “Senhor, por favor, diga ao meu irmão que divida comigo a herança do meu pai. Mas Jesus respondeu: “Homem, quem me pôs como juiz sobre vocês para decidir coisas assim? Cuidado! Não andem sempre querendo o que vocês não têm. Porque o valor da vida que alguém tem não depende da quantidade de bens que possui.” Lucas 12: 13-15

É comum que se queira ter sempre mais. Pois em um mundo onde o ter é ser, quem tem muito, também carrega para si o título de ser muito. Entretanto, a luz desse texto, Jesus nos mostra uma verdade que bate de frente com a nossa ideia contemporânea: O valor que alguém tem não tem nada ver com aquilo que esse possui. Parece um discurso socialista, um discurso antielitista, mas aqui, Jesus não levanta a bandeira da pobreza, mas nos ensina a vigiar aquilo que desejamos.

Aquele que gritou a Jesus para que pudesse receber sua herança não esperava uma resposta como esse do Filho do Homem. Além de Jesus, se negar a forçar a barra entre ele e o irmão, lhe ensina que não precisa ter aquilo que achava que lhe era merecido, e que o valor maior estava fora da quantidade das suas posses. A alusão de Cristo era a sua sobrevivência nele. E Ter a subsistência nele, não indica em não possuir recursos, mas obtê-los por meio Dele. Será que temos aprendido a não pedir o que não é nosso ou temos exigido nossa herança?

O perigo do dinheiro.

“Mas os que querem tornar-se ricos caem em tentação e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, as quais submergem os homens na ruína e na perdição.” 1 Timóteo 6:9-10

“Onde estiver o seu tesouro, ali estará também o seu coração e ainda seus pensamentos.” Lucas 12:34 

Neste texto Jesus nos bota de frente com as entranhas do dinheiro. Ele traça o caminho da perdição e destruição nos mostrando que o caminho para chegar lá é sim aqueles que querem ser possuidores de muitas coisas. Essa gente se bestializa e se torna seus desejos loucos e nocivos. Perdem o medo e caem em seus próprios enganos. Sei que alguém pensa que é possível saber se controlar, mas eu prefiro ficar com a carta de Paulo a Timóteo que é clara e objetiva. Sei que alguns de vocês já desejaram ser ricos com a desculpa de que tendo essa condição você teria a maior chance de falar de Jesus para outras pessoas. Já vi gente dizer que queria ganhar na mega sena só para poder doar a igreja e as instituições. A farsa do dinheiro é desmascarada por Jesus que nos ensina é que o dinheiro pode lhe dar tudo, inclusive o status de “ servo de Deus.” Eis o perigo do dinheiro.

Dinheiro não garante nada.

“E não se preocupem com que comer e o que beber; não se preocupem com nada, porque Deus proverá tudo para vocês. A humanidade cansa-se por causa da comida de cada dia, mas o Pai celeste conhece as necessidades de todos. Ele sempre dará tudo o que vocês precisam dia a dia, se procurarem em primeiro lugar ser fiéis ao Reino de Deus. Portanto, não tenha medo, pequeno rebanho, porque é uma grande felicidade para o Pai do céu dar o Reino a vocês. Vendam o que têm e deem aos que estão em necessidade. Isto aumentará seus tesouros no céu, onde não há ladrão para roubar, nem traça para destruir. Lucas 12:29-33 

Sei que muitos de vocês devem estar pensando: “Mas então para que devemos ter dinheiro? O certo é viver de modo que mesmo que eu tenha preciso fingir que não tenha? Quer dizer então que devemos viver numa espécie de regime comunista?” Não! Essa ideia não faz parte da ideia de Deus. Assumo para mim, que a única função do dinheiro é de abençoar pessoas. Não necessariamente lhes dando dinheiro, recursos, condições, mas promovendo o amor, a justiça, a solidariedade que somente Cristo pode nos dar.

O dinheiro não garante que você pertença ao reino, ainda que satisfaça todos os famintos, e deixe em extinção a carência dos desfavorecidos, ainda que proteja os carentes do frio, ainda que o dê o banho na podridão e na sujeira do mundo. Ainda que faça tudo isso, se não tiver uma verdade maior que é investir em pessoas, nenhuma moeda que você tenha guardada vale de nada no Reino de Jesus.

Mas por outro lado, não é a falta do dinheiro que caracteriza um ser como cristão verdadeiro. A igreja católica confundiu a fala de Jesus e inventou uma sub-doutrina na qual o voto de pobreza justifica o homem moralmente, mas para Deus não representa nada. Para concluir, eu fico com Jesus que disse aos apóstolos: “Digo-lhes a verdade: Dificilmente um rico entrará no Reino dos céus. E lhes digo ainda: É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus”. Mateus 19:23-24.

Não quero condenar os ricos, nem dignificar os pobres. Quero apenas abrir os olhos para quem Jesus foi e parar de negociar o caráter de Jesus com o caráter que o mundo me oferece. Sei que provavelmente serei mal interpretado e chamado de socialista, comunista, esquerdista e etc.. mas deixo claro mais uma vez, não faço alusão a pobreza franciscana, nem desejo alcançar o sucesso desse mundo capitalista. Apenas quero viver, sustentado por Ele, de forma que não precise mais esconder quem eu sou. Um dependente da graça dele.